terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Ditados populares

Ditados populares



  1. À noite todos os gatos são pardos.

  2. A união faz a força.
  3. Agora, Inês é morta.
  4. Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.
  5. Antes tarde do que nunca.
  6. Aprenda todas as regras e transgrida algumas.
  7. Aproveite a sorte enquanto ela está a seu favor.
  8. Aquele que só pensa em trabalho torna-se maçante.
  9. Aqui se faz, aqui se paga.
  10. As aparências enganam.
  11. Cada cabeça, uma sentença.
  12. Cada coisa a seu tempo.
  13. Cada macaco no seu galho.
  14. Cão que ladra não morde.
  15. Cautela nunca é demais.
  16. De grão em grão, a galinha enche o papo.
  17. De moeda em moeda se faz uma fortuna.
  18. Depois da tormenta, sempre vem a bonança.
  19. Desgraça pouco é bobagem.
  20. Devagar se vai longe.
  21. Dia de muito, véspera de pouco.
  22. Dizei-me com quem andas e eu te direi quem és.
  23. É melhor não cutucar a onça com vara curta.
  24. É melhor prevenir do que remediar.
  25. É na necessidade que se conhece o amigo.
  26. Em boca fechada não entra mosca.
  27. Em casa de ferreiro, espeto de pau.
  28. Em rio que tem piranha, jacaré nada de costas.
  29. Em terra de cego, quem tem um olho é rei.
  30. Falar é prata, calar é ouro.
  31. Gato escaldado tem medo de água fria.
  32. Mais vale um pássaro na mão do que cem voando.
  33. Melhor um pardal na mão do que um pombo no telhado.
  34. Na cama que farás, nela te deitarás.
  35. Nada como um dia após o outro.
  36. Não adianta chorar sobre o leite derramado.
  37. Não confie na sorte. O triunfo nasce da luta.
  38. Não conte com o ovo na barriga da galinha.
  39. Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe.
  40. Não há marcas que o tempo não apague.
  41. Nem tudo que reluz é ouro.
  42. Nunca puxe o tapete dos outros, afinal você também pode estar em cima dele.
  43. Os melhores homens são os que as mulheres julgam melhores.
  44. Os últimos serão os primeiros.
  45. Papagaio come milho, periquito leva fama.
  46. Pense duas vezes antes de agir.
  47. Pense rápido, fale devagar.
  48. Pequenos riachos formam grandes rios.
  49. Quem desdenha quer comprar.
  50. Quem espera sempre alcança.
  51. Quem não tem cão caça com gato.
  52. Quem ri por último ri melhor.
  53. Quem semeia ventos, colhe tempestades.
  54. Quem tem boca vai a Roma.
  55. Quem tem pressa come cru.
  56. Quem tem telhado de vidro não atira pedra ao vizinho.
  57. Quem tudo quer, tudo perde.
  58. Santo de casa não faz milagre.
  59. Se cair, do chão não passa.
  60. Um homem prevenido vale por dois.
  61. Uma andorinha só não faz verão.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Legislação Específica para EJA


Leia a RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 5 DE JULHO DE 2000, disponível em
http://www.educacao.rj.gov.br/index5.aspx?tipo=categ&idcategoria=404&idsecao=173&spid=13


que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação e Jovens e Adultos.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

video

Vale a pena ler e interpretar com nossos alunos...

Eu não sei se você se recorda do seu primeiro caderno, eu me recordo do meu.
Com ele eu aprendi muita coisa, foi nele que eu descobri que a experiência dos erros
Ela é tão importante quanto às experiências dos acertos
Porque vistos de um jeito certo, os erros,
Eles nos preparam para nossas vitórias e conquistas futuras
Porque não há aprendizado na vida que não passe pelas experiências dos erros

O caderno é uma metáfora da vida,
Quando os erros cometidos eram demais, eu me recordo,
Que a nossa professora nos sugeria que a gente virasse a página.
Era um jeito interessante de descobrir a graça que há nos recomeços.

Ao virar a página, os erros cometidos deixavam de nos incomodar e a partir deles,
A gente seguia um pouco mais crescido.

O caderno nos ensina que erros não precisam ser fontes de castigos.
Erros podem ser fontes de virtudes!
Na vida é a mesma coisa, o erro tem que estar à serviço do aprendizado;
Ele não tem que ser fonte de culpas e vergonhas.
Nenhum ser humano pode ser verdadeiramente grande
sem que seja capaz de reconhecer os erros que cometeu na vida.

Uma coisa é a gente se arrepender do que fez! Outra coisa é a gente se sentir culpado.
Culpas nos paralisam. Arrependimentos não!
Eles nos lançam pra frente, nos ajudam a corrigir os erros cometidos.

Deus é semelhante ao caderno.
Ele nos permite os erros pra que a gente aprenda a fazer do jeito certo.

Você tem errado muito?
Não importa, aceite de Deus essa nova página de vida que tem nome de hoje!
Recorde-se das lições do seu primeiro caderno.
Quando os erros são demais, vire a página!

Padre Fábio de Melo

A Matemática no Ensino da EJA


A EJA (Educação de Jovens e Adultos) é uma modalidade de ensino que abrange a formação tanto de jovens como de adultos, que não tiveram o privilégio de concluir os estudos básicos na idade apropriada. A educação é um direito de todos e a EJA tem por objetivo principal integrar esses cidadãos na sociedade, garantindo o direito à educação e escolarização.

A Matemática faz parte da grade curricular da EJA, sendo de grande importância na formação do caráter sócio-educacional do educando.
Ao adentrar na modalidade de ensino EJA, o professor deve mostrar a Matemática como uma ferramenta construtora do conhecimento e não uma disciplina cheia de regras e teorias decorativas que reprova. Deve-se aproveitar ao máximo a experiência de vida do aluno, estimular ideias novas, deixar que eles busquem na sua vivência soluções para situações problemas correlacionadas ao seu meio social.

Busque avaliar o aluno de forma graduada, a EJA necessita de uma avaliação contínua e diferenciada dos modelos normais, realize trabalhos e pesquisas em sala, pois grande parte dos alunos dessa modalidade de ensino trabalha durante o dia, o que impossibilita confeccionar tarefas extraclasse, estimule o trabalho em equipe, a coletividade auxilia na busca por melhores resultados.

Mostre a importância da Matemática, o quanto ela é útil para a sociedade moderna, trabalhe com dados informativos, a interpretação e a análise de situações cotidianas contribuem para a autoconfiança do estudante.
Introduza nos planejamentos das aulas situações que envolvam os temas transversais: saúde, meio ambiente, orientação sexual, ética, relacionando-os com o ensino da Matemática.
Trabalhe a interdisciplinaridade: relacione a Matemática com outras disciplinas e áreas do conhecimento, como Biologia, Física, Química, Geografia, Contabilidade, Engenharia, Administração e etc.

Analisando, considerando e aplicando esses aspectos, o ensino da Matemática terá um resultado satisfatório, contribuindo para a formação de pessoas dinâmicas que poderão participar ativamente dos diversos ambientes de sociabilização.


“Dando oportunidades iguais a quem a vida deu caminhos diferentes”
Roberto Marinho




http://www.educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/a-matematica-no-ensino-eja.htm

domingo, 2 de agosto de 2009


A importância da Auto-Estima


A forma como nos sentimos acerca de nós mesmos afeta decisivamente todos os aspectos da nossa vida: a forma como agimos no trabalho, nas relações interpessoais, no amor e no sexo; nossos comportamentos como pais e nossas reações aos acontecimentos cotidianos. Todas as dificuldades psicológicas – ansiedade, depressão, medo da intimidade e do sucesso, deficiências de aprendizagem e de desempenho no trabalho, disfunções sexuais etc. – estão relacionadas com a auto-estima negativa. De todos os julgamentos que fazemos, nenhum é tão importante quanto o que fazemos sobre nós mesmos.
Quanto maior a nossa auto-estima, maior a probabilidade de sermos criativos e ambiciosos em termos das experiências que esperamos viver e mais possibilidades teremos de manter relações saudáveis em vez de destrutivas.
Maior também será nossa possibilidade de lidar com as adversidades da vida e de tratar os outros e a nós mesmos com benevolência e boa vontade. É a auto-estima elevada que nos permite sentir alegria pelo simples fato de existirmos, de estarmos vivos.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Música na educacão 3

Usar CDs ou instrumentos ou ainda apenas a voz: cantar com os alunos, ler e interpretar as letras com eles, incentivá-los a ilustrar essas letras, associar as músicas aos conceitos tratados nas aulas.

Músicas que “dão a aula por nós”:

Tema: astronomia, ecologia
Música: Xixi nas Estrelas
Autor: Guilherme Arantes
video